falar-em-publico

Falar bem em é perfeitamente possível por meio de aprendizagem de técnicas de oratória. Tanto pessoas tímidas como não tímidas podem se sair bem nesta tarefa.

Tenho observado alguns “erros” tanto em novatos como em algumas pessoas experientes na atividade de falar em público. Abaixo estão alguns erros que devem ser evitados, se queremos transmitir tranquilidade, naturalidade e técnica.

  1. Dizer “bom”, “primeiramente”, “inicialmente”, no início da fala: essas palavras são muletas que não devem ser usadas. Não informam nada, além de serem redundantes, já que estamos começando a falar. Prefira iniciar diretamente com o cumprimento.
  2. Unir as mãos abaixo da linha da cintura quando não está gesticulando, como se estivesse em uma barreira num jogo de futebol: esta postura não divide o corpo de forma equilibrada e estética. Prefira ficar com as mãos unidas na altura do cotovelo ou com os braços soltos ao longo do corpo.
  3. Esfregar as mãos ou outro gesto de autocontato: esses gestos demonstram o desconforto e o nervosismo do orador. Mesmo sentindo algo negativo, fique atento às suas mãos. Se não estiver gesticulando, para ajudar a dar ênfase à sua fala, mantenha as mãos em repouso.
  4. Não gesticular: durante a fala, quando damos ênfase na voz, devemos fazer também com a face e com os gestos. O orador torna-se mais expressivo, dá mais relevância às ideias mais importantes da sua fala.
  5. Voz sem energia: falar em um ou poucos tons pode dar o resultado contrário do que queremos em nossa plateia, que é chamar a sua atenção. É importante que você mostre paixão pelo que fala. Na voz, isto se traduz na inflexão. Precisamos dar ênfase nas ideias importantes.
  6. Não se movimentar: ficar parado em um único lugar durante toda uma apresentação não é uma boa estratégia. Procure aproveitar os espaços disponíveis da sala. Você parecerá mais dinâmico. Comece e termine no centro da plateia e ande durante, de forma calma (ou de acordo com o astral da sua apresentação) e olhando para a plateia.
  7. Entrar direto no assunto: cumprimentar, dizer seu nome e entrar direto no assunto, sem fazer nenhum quebra-gelo não é uma boa estratégia. Planeje com antecedência, como poderá introduzir a sua fala, com o objetivo de causar mais interesse da plateia pelo seu assunto.
  8. Não contar histórias e casos: é extremamente recomendável que você conte histórias e casos para ilustrar o que está dizendo. As histórias ficam na memória das pessoas e as ajudam a lembrar do conteúdo depois que a palestra terminou.
  9. Não controlar o tempo da apresentação: as pessoas da plateia se programam para assistir o tempo que foi divulgado. Falar mais ou menos do que o tempo previsto demonstra falta de planejamento. Ensaie a apresentação com antecedência e posicione um relógio a sua frente para consultá-lo periodicamente.
  10. Dizer “Era isso” no final: ou frases parecidas como, “Era isso que eu tinha planejado para hoje”, “Era essa a minha mensagem”, “Era só isso”. Essas frases são fracas e não têm impacto. Prefira fazer resumo do que falou, reforçar uma ideia importante ou pedir alguma atitude da plateia.